Sósia alemão de Cristiano Ronaldo decide fazer as malas para jogar no Brasil

Super Esportes - Sósia alemão de Cristiano Ronaldo decide fazer as malas para jogar no Brasil

Saki tem ínfima experiência profissional, mas conta com empresário para realizar sonho. Se ainda existe um torcedor com esperança de ver Cristiano Ronaldo em um time brasileiro, quem sabe ele se satisfaça com uma miragem? Pois está para desembarcar no país um sósia do melhor do mundo. Falta “só” uma proposta oficial, mas isso arrisca ser o de menos. Obstinado em jogar por aqui, o alemão de ascendência grega Athanassios Kotsabassidis — pode chamar de Saki — conseguiu até um empresário capaz de facilitar a transferência.

Cristiano Ronaldo douplo - Saki - Doppelgänger, Double
Saki, 23 anos, à esquerda; Cristiano Ronaldo, aos 23, em 2007, à direita

Saki tem 23 anos, sete menos que Cristiano Ronaldo. A maioria dos números está a favor do astro português: duas Bolas de Ouro, 412 gols e 20 títulos oficiais na carreira. No futebol profissional, o sósia conseguiu balançar as redes só uma vez, em um amistoso contra o Borussia Dortmund, em julho de 2013. Ele defendeu o time do humorista alemão Oliver Pocher numa partida de exibição de pré-temporada e marcou o gol de honra da goleada por 9 x 1. Furou a defesa comandada por Roman Weidenfeller, então goleiro reserva da seleção alemã.

Decidisse escrever um currículo, Saki teria apenas mais uma experiência nos gramados. No ano passado, ele passou uma semana com o elenco do Sporting Lisboa, um dos três gigantes de Portugal — justamente o time que revelou Cristiano Ronaldo. Treinou, jogou um amistoso, mas acabou dispensado.

O sonho de vir jogar aqui, portanto, está depositado somente na semelhança com o craque do Real Madrid, algo que o impulsiona ao menos nos contratos de modelo e de dublê para comerciais e eventos. Ainda assim, sem nenhum feito na carreira propriamente de jogador, Saki jura que “consegue se imaginar” no Campeonato Brasileiro.

“Eu já joguei futsal e também treinei muito com bola em um espaço minúsculo, então sou melhor tecnicamente do que fisicamente”, conta, em entrevista ao Correio Braziliense, feita por e-mail por opção do craque-miragem. Explique-se: apesar da obsessão em vir jogar no Brasil, o alemão não conhece nada do português e só arranha um pouco de inglês.

Por treinar técnica diariamente, Saki se diz melhor no futebol freestyle, no qual é avaliado pela dificuldade e pela execução de movimentos de habilidade. Mas nem nisso pode se dizer que a carreira do camisa 11 está prestes a decolar: o canal dele no YouTube tem menos de mil assinaturas.

Empresário forte

Recentemente, Saki acertou com o empresário Roger Wittmann, chefão da Rogon, que cuida da carreira de três jogadores com passagem pela Seleção Brasileira. Um deles, o meia Roberto Firmino, do Hoffenheim, tem sido convocado por Dunga. Também estão na lista de Wittmann o meia Carlos Eduardo (ex-Flamengo e ex-Grêmio) e o volante Luiz Gustavo (que jogou a última Copa).

Assista ao gol de Saki contra o Borussia Dortmund: